Solidariedade promove formação política e diploma mais de 100 mulheres

WhatsApp Image 2020-03-08 at 14.50.53

A Secretaria Nacional da Mulher do Solidariedade e a Fundação 1º de Maio, durante cinco finais de semana, de agosto de 2019 a março de 2020, promoveram o curso Lidera+. O objetivo do treinamento era preparar mulheres para concorrerem as eleições para ampliar a representação feminina no Brasil. E, neste domingo, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o Lidera+ realizou a formatura política de 103 mulheres.

O evento de diplomação contou com a presença de diversas autoridades: deputados federais, estadual, distrital, representantes do Solidariedade e da Fundação 1º de Maio. A presidente da Fundação, Samantha Costa, ressaltou o empenho demonstrado pelas mulheres para estarem na política.

“Somente as mulheres sabem defender as suas pautas e, por isso, elas devem estar no Congresso, nas Câmaras, nas Assembleias e no Executivo. Estamos trabalhando para ampliar a representatividade feminina e vamos chegar lá”, afirmou.

Solidariedade

O presidente nacional do Solidariedade e deputado federal, Paulinho da Força, disse que a formação política das mulheres é importante para que o partido tenha candidatas qualificadas.

“Não teremos candidatas laranjas no Solidariedade. Vamos ter candidatas competindo em igualdade com os homens”, enfatizou.

O deputado também aconselhou as mulheres que quando forem eleitas, elas devem se preocupar com os mais pobres.

“A política serve para melhorar a vida das pessoas. Por isso as nossas candidatas devem ter em mente as necessidades dos brasileiros e, assim, fazerem projetos e ações que melhorem a vida das pessoas”, concluiu.

 

Já o deputado federal e presidente do Solidariedade no Rio de Janeiro, Aureo Ribeiro, citou as candidaturas laranjas em outros partidos.

“Não podemos aceitar que as mulheres sejam usadas para que homens sejam eleitos. Fico feliz porque o Solidariedade está preocupado em capacitar as lideranças femininas para que façam a diferença no país”, disse.