Lugar de mulher é na política

De todos os problemas que temos enfrentado na pandemia, há um bem antigo que, por não receber a atenção necessária do poder público, se agravou ainda mais nesse período de isolamento social: a violência contra a mulher.

Um levantamento da ONU Mulheres mostrou que o aumento da violência doméstica durante a crise da Covid-19 é um fenômeno mundial e ocorreu em diversos países. Isso porque muitas mulheres estão confinadas com seus agressores e mais expostas aos ataques.

Hoje, Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, é importante lembrar que o combate a esse tipo de violência deve ser permanente, começando com uma mudança de mentalidade sobre o machismo estrutural e oferecendo apoio às mulheres.

Nós acreditamos que essa transformação passa pela formação e geração de oportunidades para todas. É por isso que o Solidariedade tem uma secretaria voltada para a mulher. O objetivo é incentivar a participação feminina na política e ampliar representatividade, fazendo com que elas entrem, de fato, no debate sobre o enfrentamento à violência doméstica.

Afinal, lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive na política!